TOP

Vitória da Unidade

 

O auditório do Ventura recebeu 326 empregados da Finep na tarde da quinta-feira, 04/07/2019, e foi palco de uma assembleia histórica, na qual a maior vitória foi a solidariedade do corpo funcional, não apenas fortalecendo a sua posição no processo negocial em curso mas, especialmente, renovando o espírito de união recentemente despertado e apontado por todos como fundamental para o enfrentamento da crise institucional pela qual passa a FINEP.
 
A proposta da empresa continha, além de uma tentativa de rebaixamento salarial, inexplicável do ponto de vista técnico, segundo a própria representação da empresa na mesa de negociação, uma covardia inominável com os empregados que exerceram seu direito ao benefício da aposentadoria pelo INSS. Se aprovada aquela proposta, os aposentados perderiam o complemento da remuneração e benefícios, justamente nos momentos em que estivessem mais vulneráveis financeira, física e emocionalmente, ou seja, quando em licença médica por mais de 15 dias.
 
No início da assembleia foi lembrado que a relação entre empregador e empregado não é impactada de qualquer forma pelo fato do empregado estar em fruição da aposentadoria. Do ponto de vista do empregador, o que existe, segundo a legislação vigente, são empregados na ativa, independente da sua situação junto ao INSS.
 
Ao longo da assembleia, com as intervenções realizadas pelo plenário, foi ficando claro para todos que a empresa havia cruzado o limite da condição humana dos empregados, associando o rebaixamento e arrocho salarial com a perseguição a um grupo determinado de empregados, o que configuraria, claramente, sua discriminação.
 
O resultado foi a recusa da proposta da empresa e a aprovação de contraproposta que demonstra a disposição do corpo funcional de abrir mão de receber o mesmo índice de reajuste de todas as instituições pertencentes à base do Sindicato dos Bancários no Brasil, privilegiando a busca de uma solução por meio de um acordo, e também que a comunidade de pessoas que trabalham na Finep não negocia a dignidade dos seus membros.

O Colegiado