Ciclos de Debate

A constatação que nos países mais avançados as políticas de apoio à inovação desempenham papel chave no desenvolvimento econômico dos  países e integram a política de Estado, em grande parte explica a posição desses países no contexto geopolítico global.

Apesar dos avanços e iniciativas realizadas nos últimos anos observa-se uma nítida diferença entre os resultados alcançados no Brasil e em outros países de diferentes regiões.

Cada vez mais é possível perceber que os resultados alcançados não acontecem somente em função do volume de recursos investidos e de sua perenidade. O papel do governo e suas agências não estão restritos ao financiamento de ações e programas estratégicos. Embora essencial, atuar só nessa vertente não é suficiente.

Há uma diferença importante nos modelos, nas políticas e nos arranjos institucionais adotados em outros países para a execução das atividades inovadoras baseadas em desenvolvimento tecnológico e científico, como também nos modelos de apropriação dos resultados e, principalmente, nas legislações que regulam e dão suporte às atividades de P&D.

Muitas dessas diferenças não estão no âmbito de governança direta da Finep, ou mesmo do MCTI. Mas seguramente a Finep pode e deve rever sua ação frente à realidade institucional existente e às necessidades e oportunidades do País em busca de tornar mais efetiva a sua atuação.

Nesse contexto é importante abrir espaço para um amplo debate sobre o modelo institucional adotado pela Finep, bem como a avaliação sobre a importância de reposicionar nossa atuação, no que for necessário, em função das necessidades sociais e econômicas do país.

Assim, a Associação dos funcionários da Finep decidiu organizar ciclos de debates voltados a subsidiar a compreensão do quanto é possível melhorar a ação desta Financiadora de Estudos e Projetos.

A dinâmica

O Ciclo de Debates está estruturado em duas séries por 02 eixos temáticos.  A primeira série  “A Finep de que o País precisa” tem foco nos modelos institucionais e papel das agências de fomento na implementação de políticas de C,T &I e a segunda “A melhor organização da Finep para enfrentar os desafios do desenvolvimento tecnológico brasileiro” focada em questões mais operacionais. Este segundo ciclo só será alvo de programação após a realização do primeiro.

A série “A Finep de que o país precisa” tem por objetivo ajustar a ação da Finep aos tempos atuais, sem perder de vista o papel preponderante do Estado sobre o surgimento de tecnologias protagonistas para o desenvolvimento nacional.

Sua implementação prevê a realização de 04 (quatro) exposições realizadas com a participação de convidados e especialistas que abordarão temas sobre os arranjos institucionais que orientem a ação de fomento e de monitoramento do desenvolvimento tecnológico almejado.

As exposições serão acompanhadas por um especialista em política pública e social com a missão de registrar os principais pontos abordados, visando colher subsídios para promover o debate interno com os funcionários da Finep, em sessões que se realizarão em datas específicas depois da cada apresentação.

Este profissional deverá funcionar como mediador do ciclo de debates. Ele também mediará o painel, bem como contribuirá na elaboração do relatório final, com vistas à construção de visões críticas coletivas sobre as funções que a Finep deve exercer.

Resultados esperados:

  • o compartilhamento de informações e conhecimento sobre a trajetória da Finep;
  • a avaliação de experiências de outros países sobre políticas de C,T &I;
  • a reflexão sobre o papel da Finep para o desenvolvimento socioeconômico do país a partir de diferentes visões e da interação do corpo funcional.

Comments are closed.