Colegiado apresenta visão sobre o retorno e chama participação na assembleia hoje

O Retorno

Prezados colegas,

Fomos convocados a retornar ao trabalho presencial na próxima segunda-feira, dia 02/05/2022. Num processo sem nenhum espaço para escuta e contribuição dos empregados, o sentimento generalizado é de frustração pelo não reconhecimento dos esforços dos empregados, do retorno financeiro positivo já alcançado e o potencial crescimento desta economia na empresa.

Sabemos o quanto voltamos diferentes. Após mais de dois anos de pandemia, onde a preocupação era que pudéssemos todos nos reencontrar ao seu fim, infelizmente voltamos muitos de nós com marcas deixadas por perdas, alguns parentes, outros amigos, colegas, conhecidos, outros com marcas emocionais e/ou físicas deixadas pela pandemia, alguns narrando uma experiência pessoal ou pessoas próximas. Deixamos aqui registrado nosso carinho e o acolhimento aos colegas que precisarem de suporte nesse momento, além da ciência de que cuidados ainda são necessários, principalmente para o grupo mais vulnerável. Não vamos nos esquecer que estaremos num ambiente fechado, com pessoas com os mais diferentes cuidados, exposições e cuidados de vacinação.

Apesar de todo esse cenário desfavorável, o empregado da Finep fez bonito nas entregas de trabalho. As áreas, na sua maioria, estão sobrecarregadas por excesso de demandas e poucos analistas na operação. Apesar de tudo, nossa produtividade cresceu, metas foram alcançadas, ações e demandas foram entregues à sociedade. Nós nos adaptamos, aprendemos a lidar com novos sistemas e ferramentas, aprendemos a nos relacionar nas chamadas online, fomos cooperativos para que a partir do trabalho do grupo, o grupo “empregados da Finep”, não houvesse apenas continuidade mas também excelência das nossas entregas. Os resultados apareceram e foram reconhecidos em notícias no Fique por Dentro, nos indicadores e nos discursos da própria diretoria.

Não podemos esquecer que tivemos em tempos recentes PDAs que reduziram nosso quadro, sem reposição, e com aumento, muito bem-vindo, dos recursos do FNDCT pelo qual tanto batalhamos e ajudamos a conquistar. E por falar em lutas, foram tantas que nem na pandemia nos deram respiro, ameaças contra nossa empresa, ameaça contra a permanência como secretaria executiva do FNDCT, contingenciamento de recursos, listas de extinção de instituições federais. Já passamos por tempos muito turbulentos, mas nunca deixamos de acreditar na importância do nosso trabalho para o país, do papel da Finep e o que somos capazes de realizar.

Sabemos da nossa importância, mas talvez não da nossa força. Essa força é que poderá tornar realidade o desejo pela manutenção de um sistema híbrido, opção feita pela grande maioria dos empregados conforme pesquisa realizada pela Associação, mais de 90% dos respondentes. Nossos argumentos passam por uma negociação ganha-ganha, pois é bom para a Finep, que reduz os custos, traz satisfação e orgulho aos seus empregados por fazerem parte desse time, traz uma empresa mais produtiva e, não menos importante, gera qualidade de vida aos seus empregados. Todos esses ganhos têm sido reconhecidos e levaram diversas empresas públicas, privadas, sociedades de economia mista, órgãos da administração direta e indireta a adotar o regime híbrido de trabalho. Há toda uma legislação, que reconhecendo a modernidade e a transformação das relações de trabalho – aliás, muito coerente com uma proposta de inovação tão familiar a todos nós – dá segurança e suporte ao administrador para a sua adoção. E o processo de construção deve ser realizado não unilateralmente, mas com a participação dos empregados, seus órgãos de representação, que incluem a AFIN, o Sindicato dos Bancários e a própria CPART.

Encerramos por aqui com dois pedidos. O primeiro, que retornemos de cabeça erguida, e que permaneçamos firmes para nos posicionar, pressionar a empresa pela negociação do trabalho remoto, e por tantas outras lutas, tão caras a todos nós. O segundo, que não deixemos de reconhecer como é bom estarmos de volta à nossa sede, o PF200, cujos custos são muitos favoráveis para os resultados da nossa empresa, além do vínculo emocional com a nossa verdadeira casa. Foram anos de luta na Associação para que isso acontecesse, inclusive por pessoas que não estão mais na Finep. Não vamos deixar a decepção com a falta de diálogo e negociação do teletrabalho obscurecer esse momento. Precisamos aprender que a persistência, a coesão e a força dos empregados ainda vai trazer muita coisa boa para todos nós e para a nossa empresa.

Vamos juntos!
Todos à Assembleia, dia 29/04/2022, às 14h30!

Excepcionalmente a assembleia será por meio do ambiente virtual, através da plataforma ZOOM pelo link: https://us02web.zoom.us/j/87285239171?pwd=MVZsM0RYVS9YUTNSTFNEcGx4T0lOQT09

Foto: João Batista Shimoto / Wikimedia.org – Acesso a retorno D. Pedro I, região de Valinhos.

 

Leave a Reply